On my way to zero waste #2

Não se reduz drasticamente o lixo produzido de um dia para o outro. Tal como no minimalismo, é um caminho diário. Poderemos ter em mente o objectivo final, mas não se trata de uma corrida. 
Quando descobri o minimalismo e quando me tornei vegan fiz uma lista com as várias coisas que queria mudar e o que quereria fazer em cada uma delas. 
Por isso esta pareceu-me igualmente a melhor forma de começar este desafio em torno do movimento zero waste.
A lista ainda está a ser a feita, pois vou fazendo um bocadinho cada dia à medida que vou vendo o lixo que vou produzindo. É incrível a quantidade de lixo que produzimos diariamente e nem damos conta da maior parte! O facto de tomarmos consciência já é óptimo. Acredito que depois dessa tomada de consciência é impossível ficar indiferente!

Enquanto ia fazendo a lista resolvi reorganizar novamente a cozinha, retirando tudo das embalagens para perceber os frascos que tinha em casa e aquilo que estava em falta.

Acabei por descobrir que tinha mais coisas em casa do que pensava! 
Queria comprar mais latas para chás e descobri que podia usar uma embalagem de chá que está quase a acabar (em papel) e que pode ser reutilizada. Voltei a colocar as especiarias no armário em cima do fogão e usei a caixa onde elas estavam para cebolas/alhos/batatas e já não precisei de comprar.
Consegui colocar praticamente tudo nos frascos que tinha, que reaproveitei de produtos que fui comprando.

Aqui ficam algumas fotos da reorganização da despensa:

Tanto plástico! Quando viro as especiarias em frascos, faço-o dentro do wok para aproveitar tudo o que não cai no frasco.
Despensa: Antes

Despensa: Depois (ficou apenas uma prateleira com embalagens)


Para as compras a granel, necessitava de comprar sacos em tecido, mas lembrei-me que podia usar os sacos das Melissas que usava para guardar a roupa nas malas/mochilas em viagem. Lavei muito bem os sacos e várias vezes e ficaram prontos a usar!



Podemos ainda ver se alguns familiares têm coisas que se usavam antigamente, como sacos em tecido para pão, guardanapos e lenços de pano, etc. Eu consegui trazer várias coisas de casa dos meus pais.

Entretanto aproveitei também para comprar algumas coisas que estavam em falta: 2 frascos em vidro, 2 caixas de vidro para guardar comida e uma garrafa para o leite vegetal caseiro, tudo na Ikea.


E já devem ter reparado ali ao lado no ícone “Zero Waste bloggers”, uma comunidade de bloggers que seguem este estilo de vida ou que estão a iniciar (como é o meu caso). É uma forma de haver maior partilha e de descobrir ainda mais sobre o assunto.

Deixo duas dicas para começar já a reduzir o lixo:

  1. colocar um autocolante na caixa de correio que indique que não pretendem receber publicidade endereçada. Tentei pedir nos correios mas não tinham, por isso imprimi e colei com papel autocolante (se todos fizermos isto, as empresas irão perceber que não vale a pena estarem a imprimir kilos e kilos de papel). Ainda não tinha feito isto antes e também aceitava sempre publicidade na rua porque geralmente são miúdos que fazem estes trabalhos e precisam do dinheiro. Ficava com alguma pena confesso. Mas pensando bem, se deixarmos de alimentar este tipo de actividades, certamente que haverão outros empregos mais interessantes e sem este impacto ambiental.
  2. utilizar as cascas dos vegetais, restos de comida e borra de café para fazer compostagem. Eu não faço compostagem, até porque depois não tinha onde usar, mas guardo o lixo da semana em frascos (costumo encher 2 destes por semana) e depois entrego a quem utiliza. Podem perguntar a quem tenha hortas em casa ou mesmo aos agricultores de produtos biológicos.


Etiquetas: