Podcast Ana, Go Slowly 003: minimalismo, desperdício zero, maternidade e alimentação

18 junho 2017



Falamos do nosso regresso e daquilo que fizemos nos meses de ausência de podcast.

A Sofia foi mãe e eu desatei a comprar livros e a acumular caixas de cartão e frascos de vidro. Pelo meio também fiz um detox holístico e mudei algumas coisas na minha alimentação.

Gravamos este podcast na praia e por isso ouve-se algum vento como som de fundo.

Neste episódio abordamos as seguintes questões:
  • Ser minimalista e comprar livros?
  • O minimalismo também passa por acrescentar aquilo que interessa?
  • Desperdício Zero: mudanças radicais e como encontrar o equilíbrio?
  • Desperdício Zero: como respeitar os outros e o planeta ao mesmo tempo?
  • Fazemos escolhas conscientes no nosso dia-a-dia?
  • Ser minimalista e mudar para uma casa maior?
  • Maternidade minimalista?
  • Conseguimos adaptar o minimalismo ao nosso estilo de vida?
  • Batidos de fruta e vegetais ou pão ao pequeno-almoço?

Ouvir:


Subscrever:


Mencionado no podcast:

Se quiserem deixar as vossas sugestões de temas para os próximos podcasts ou perguntas, podem fazê-lo nos comentários deste post ou enviar um e-mail para anagoslowly@gmail.com.

A música do podcast chama-se "Somente o necessário" e é do Projeto Trigo.

Para conseguirmos continuar a gravar os podcasts precisamos de aderir à conta Pro do SoundCloud, por isso se gostarem do Podcast e quiserem contribuir para nos ajudarem com as despesas de manutenção podem fazê-lo através do PayPal.

2 comentários:

  1. Oi Ana, gostei demais do podcast! Me identifico com vocês em várias questões, inclusive alguns questionamentos da Sofia em relação à maternidade e minimalismo também tive quando minha filha nasceu, há 2 anos. De repente vi minha casa cercada de coisas, carrinhos, brinquedos, roupas.. Parecia que estava dando muitos passos para trás. Concordo que é importante buscar o equilíbrio senão paralisamos e não fazemos nada. E como vocês disseram, o minimalismo de cada pessoa tem uma forma diferente, é difícil querer colocar numa "caixa".
    Abraço (adorei a música!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Bruna, que bom! Obrigada pelo comentário :)
      Acho que o mais importante é mesmo adaptarmos à nossa vida e sermos felizes à nossa maneira ;)

      Eliminar