Histórias dos leitores: Sophie

30 maio 2016

Na rubrica "Partilha a tua história" irei publicar textos enviados pelos leitores que já simplificaram as suas vidas. Não há nada melhor do que nos inspiramos com outros exemplos de pessoas que mudaram as suas vidas para melhor! Acredito mesmo que uma vida mais simples é uma vida mais feliz :)

A minha historia começa em 2012, foi nesse ano que descobri o minimalismo. Não foi devido a nenhuma mudança radical de vida, nem pelo facto de mudar de casa constantemente e estar farta de carregar toda a minha tralha atrás. Aconteceu quando descobri um video no youtube dos The Minimalists, a partir desse dia, a maneira como eu via a vida mudou completamente. A minha mente começou a abrir e a aperceber-se do que realmente era importante, e pouco depois começou a minha viagem.

Facebook do blog com novos conteúdos

27 maio 2016


Depois de rever algumas fotos e de actualizar alguns posts, resolvi criar vários álbuns de fotos na página de facebook do blog. Espreita aqui os vários álbuns:




e mais alguns...

Quero também criar um álbum com as fotos de destralhamento dos leitores, por isso se andas a destralhar e a simplificar a tua casa e a tua vida, envia-me as tuas fotos para anagoslowly@gmail.com :)

Capsule wardrobe para todo o ano - 65 itens

25 maio 2016


Adoro a ideia de não ter que perder quase tempo nenhum a decidir o que vestir!
Não me importo de usar as mesmas coisas vezes e vezes sem conta, quando adoro aquilo que estou a vestir.

Solução: armário cápsula! Este conceito surgiu nos anos 70 e foi criado pela estilista Susie Faux, que propôs uma série de itens essenciais e intemporais que todas as mulheres deveriam ter no armário.

Podemos ter um armário cápsula para cada estação ou ou podemos ir um pouco mais além e usar o mesmo todo o ano (que tem obviamente que ter mais algumas peças).

Histórias dos leitores: Cora Mariana

23 maio 2016

Na rubrica "Partilha a tua história" irei publicar textos enviados pelos leitores que já simplificaram as suas vidas. Não há nada melhor do que nos inspiramos com outros exemplos de pessoas que mudaram as suas vidas para melhor! Acredito mesmo que uma vida mais simples é uma vida mais feliz :)

Queria contar um pouco para vocês a minha história e relação com o minimalismo. Isso foi uma coisa que eu sempre fui. Eu não fiz grandes esforços para mudar meu estilo de vida e viver com menos. E tudo começou porque ter uma quantidade muito grande de objetos sempre me atrapalhou. Desde bem pequena eu sabia que quanto mais brinquedos eu tivesse, mais coisas eu teria para arrumar. E quando a minha mãe perguntava se eu queria algum brinquedo novo eu dizia que "não precisa, eu já tenho muitos". Eu era feliz com os brinquedos que eu já tinha, e o que eu não tinha, eu inventava. Eu também nunca gostei de ir pro shopping experimentar roupa. Eu preferia ir na livraria. E enquanto minha mãe ia no supermercado eu preferia brincar no Mundo da Criança. Odeio até hoje ficar indo pro shopping, e só vou em supermercado porque é necessário. Eu sempre gostei muito mais de comprar em lojinhas na rua, brechó e feirinhas. 

Como destralhar e organizar sapatos

20 maio 2016

O vício das melissas
Desde que vivo nesta casa (há cerca de 6 anos) que sempre quis ter todo o calçado no armário da roupa devidamente exposto, sem caixas.

Para além de contribuir para uma maior durabilidade dos sapatos (os meus sapatos pouco usados ficavam sempre com bolor), conseguimos ter uma visão geral de todos eles, sendo mais fácil decidir o que calçar e finalmente, é super prático pegar nos sapatos quando queremos usar.

Desde há 6 anos que este desejo era praticamente impossível de se concretizar, sobretudo porque o n.º de sapatos ia aumentando e não diminuindo!

Ao longo da minha vida (não contando com a infância) penso que tive no máximo 30 pares e no mínimo 4/5 pares. Sim, já tive muito poucos pares de sapatos quando andava na faculdade, mas como contei no post "Destralhar roupa e sapatos com o método konmari - parte I" quando mudei totalmente o meu estilo adquiri imensos sapatos! Costumo dizer que queria recuperar os anos perdidos! Afinal dizem que as mulheres são loucas por sapatos e eu não conseguia perceber porquê! Até descobrir as melissas em 2007!

Destralhar roupa e sapatos com o método konmari - parte II

18 maio 2016

Continuando o post anterior (vê aqui a parte I), tudo o que estava gasto/velho foi para o saco do lixo (atenção que não é o lixo comum, coloco nestes contentores que reutilizam as peças para produzir outros materiais). Tinha imensa roupa de andar por casa super velha. Sempre tive este hábito: de colocar a roupa que já não quero usar na rua, por estar velha, na gaveta da roupa para andar em casa. Mas será que em casa devemos andar assim, mal vestidas? Acho que não! Na nossa casa devemos sentir-nos bem e confortáveis. Assim adeus roupa de andar em casa! Tenho imensa roupa de desporto e é essa roupa que uso em casa, por ser confortável e prática. Assim quando quero passear com o meu cão e praticar yoga, já estou pronta!

Destralhar roupa e sapatos com o método konmari - parte I

16 maio 2016

Como o post ficou demasiado grande será dividido em duas partes, por isso não deixes de ler a II parte.

Já todos sabemos que um armário organizado permite-nos poupar tempo (não só a arrumar mas a decidir o que vestir), reduz o stress e permite-nos poupar, pois deixamos de nos queixar constantemente de que não temos nada para vestir, evitando assim a ida às compras!

E a sensação de olhar para um armário limpo, com ar fresco e com todas as nossas peças favoritas não tem preço :)

Links da semana #8

13 maio 2016

Nos "Links da semana" partilho contigo aquilo que fui lendo/ouvindo/vendo durante a semana e que considero relevante tendo em conta a temática do blog. Tento incluir um pequeno resumo em cada link. Por isso, se quiseres saber mais sobre determinado tema é só clicar no respectivo link :)

Histórias dos leitores: Sofia

11 maio 2016

Na rubrica "Partilha a tua história" irei publicar textos enviados pelos leitores que já simplificaram as suas vidas. Não há nada melhor do que nos inspiramos com outros exemplos de pessoas que mudaram as suas vidas para melhor! Acredito mesmo que uma vida mais simples é uma vida mais feliz :)

Não sou de comentar o que vou lendo nos blog que vou seguindo e nunca tive coragem de criar o meu próprio blog, apesar de já me ter sido sugerido por colegas e amigos várias vezes . Porém, ao ver o apelo no "Ana, Go Slowly", senti que devia partilhar a minha história, por tudo o que este e outros blog já me deram. Recuperei um texto (privado) que escrevi há pouco mais de dois meses e que adaptei ao actual propósito.

O minimalismo nos dias de hoje

09 maio 2016


O minimalismo enquanto estilo de vida tem vindo a ganhar cada vez mais novos adeptos.
Apesar de em Portugal se ter começado a ouvir falar deste estilo de vida em 2012/2013, ultimamente o tema tem sido divulgado junto do grande público e não apenas junto de certos nichos de mercado como anteriormente.
Parece-me que nunca numa altura como agora o minimalismo fez tanto sentido. 

Vivemos numa sociedade de extremos.

Se por um lado temos cada vez mais a cultura do fast e isso tem-se sentido sobretudo devido ao desenvolvimento das tecnologias de informação que vêm acelerar a nossa vida em todos os aspectos, e também na indústria da moda, em que cada vez mais lojas apostam em peças mais baratas e de menor qualidade para serem mais acessíveis a todos e permitirem que se compre uma maior quantidade de roupa.
Por outro lado surgem cada vez mais movimentos opostos: slow food, slow fashion, slow living...

Também acho que não é por acaso que o método konmari tem tido tanto sucesso em todo o mundo…

Andamos todos cansados de termos tantas coisas para fazer e tantos objectos para cuidar… E precisamos desesperadamente de ajuda!

Com a correria das nossas vidas e com a panóplia de responsabilidades e papéis que vamos assumindo (papéis na vida real e na vida virtual), diria que é expectável que queiramos reduzir algumas coisas na nossa vida.

As solicitações chegam de todo o lado, há cada vez mais coisas novas e queremos estar a par de tudo. Todos os dias há novas formas de mantermos contacto com amigos e desconhecidos e o nosso telefone não para de piscar.
Tudo está à distância de um clique ou de um toque. E se isso pode ser bem vantajoso às vezes, na maioria das vezes é esmagador!

Queremos corresponder às expectativas de todos, afinal todos respondem a tudo imediatamente, comparamos cada vez mais a nossa vida à dos outros e depois sentimo-nos mal.
Como é que ela é mãe de duas crianças, tem dois cães, trabalha, faz voluntariado e ainda tem tempo para correr?
Queremos ser capazes do mesmo! E ficamos super desiludidos e aborrecidos connosco próprios por não conseguirmos acompanhar.

Num cenário como este, o "menos" é urgente! 

Não é só o nosso corpo que tem que descansar, a nossa mente também! Não chega descansar a mente apenas 7 ou 8 horas por dia no momento em que dormimos. Além disso, andamos tão agitados todo o dia que depois temos dificuldade em adormecer!

Por isso nunca se falou tanto em meditação e em mindfullness. São diversos os estudos que compravam os seus benefícios e numa vida agitada como a que vivemos, nem precisamos de ler as conclusões desses estudos para perceber que todos ganharíamos com a inclusão destas práticas nas nossas vidas.

E é neste cenário que surge o minimalismo enquanto parte da solução para nos ajudar a manter uma vida onde menos é efetivamente mais.
Mesmo que não queiramos abraçar este estilo de vida por completo, há sempre pequenas coisas que podemos ir adoptando.

Muito resumidamente o minimalismo diz-nos que devemos viver com o essencial, aquilo que nos faz realmente felizes e que nos faz sentir bem. 
Mas nem sempre é fácil fazer esta análise, pois estamos de tal forma condicionados que muitas vezes consideramos o acessório como essencial. É preciso libertarmo-nos daquilo que nos é imposto, pararmos um pouco e pensarmos: o que me faz realmente falta? Não conseguiria viver sem…?

Apesar de já ter adoptado este estilo de vida em 2012, 4 anos depois continuo como toda a gente a ser posta à prova diariamente.
Afinal não vivo isolada do mundo, continuo a viver numa grande cidade, a trabalhar, a ter uma família e uma casa normal como toda a gente. 
Mas é justamente aqui que aplicar o minimalismo nos poderá ajudar.
Quem vive no meio da natureza não precisará certamente de minimalizar a sua vida.

Como podes aplicar o minimalismo na tua vida em 2016?

Roupa
Adopta um armário cápsula - escolhe cerca de 30/35 peças a cada 3 meses e vive apenas com essas peças. Mais sobre este assunto aqui.
Adopta um uniforme - imagina que gostas de usar calças de ganga, t-shirt/blusa e ténis. Este pode ser o teu uniforme. Tendo isto em mente é muito mais fácil decidir o que vestir, basta ires mudando as peças.
Livra-te da roupa que já não te serve mas que ainda acreditas que algum dia te irá servir, da roupa que usaste apenas uma vez e daquela que nunca usaste.

Compras
Da próxima vez que comprares roupa compra algo que estejas a precisar, que adores e que te faça sentir bem. Prefere peças que são fáceis de cuidar e que não precisam de ser passadas a ferro.
Compra peças versáteis, por exemplo casacos que dão para todo o ano: no inverno usamos o casaco com a parte interior e no verão retiramos.
Faz uma lista em papel ou no telemóvel (até pode ser na loja online que estiveres a ver) com tudo aquilo que queres comprar. Após 30 dias volta à lista e vê se ainda queres comprar todos os itens.

Dia-a-dia
Tira tudo da mala/mochila: papéis, talões, cartões, agenda, lenços, etc e faz uma limpeza. Precisas mesmo de andar assim tão carregado(a)? Lembra-te daquilo que é realmente essencial e que usas diariamente.
Se ainda não tens esse hábito mantém uma lista diária com aquilo que tens que fazer. Se pelo contrário te vicias rapidamente em listas , mantém apenas aquilo que é mesmo importante e elimina o resto.

Cozinha
Tira tudo dos balcões (podes arrumar nos armários) - esta dica foi de facto a que fez mais diferença na minha cozinha, passei a ter espaço para cozinhar devidamente.
Mantém apenas a louça/utensílios que usas.
Se recebes frequentemente gente em casa guarda as coisas extra em armários menos acessíveis.
Mais dicas aqui.

Telemóvel
Desinstala as aplicações que raramente ou nunca utilizas.
Desliga o máximo de notificações - nós não nos esquecemos de consultar as nossas apps favoritas. Por isso para quê manter as notificações? Quando lá formos vemos tudo. Interessa sim manter alertas para determinadas tarefas que temos que fazer ou determinados compromissos (de trabalho ou pessoais).

E-mail
Coloca todos os teus compromissos numa agenda e sincroniza com a agenda do trabalho, de outros familiares, etc.
Aplica filtros no e-mail e organiza logo os e-mails quando os recebes.
Mantém a caixa de entrada a zero.

Computador
Mantém o ambiente de trabalho limpo (sem pastas ou ficheiros). Se necessitares deixa apenas os atalhos das coisas mais utilizadas (os atalhos não sobrecarregam o computador).
Desinstala/apaga o que não interessa (programas, documentos, fotografias).
Faz backup das fotos e documentos importantes (podes guardar na dropbox)
Elimina tudo o que está na reciclagem.

Papel
Guarda apenas aquilo que tem mesmo que ser guardado (papéis IRS, coisas do banco; escritura da casa; certificados de cursos).
Tudo o resto pode ser digitalizado e guardado no computador ou online (evernote, google drive, dropbox).
Livra-te de caixas de telemóveis, electrodomésticos e outras que tenhas guardadas.

Limpezas
Elimina os 1001 produtos que utilizas e usa apenas vinagre e bicarbonato de sódio.

Lembranças
Tira uma foto à lembrança e guarda apenas a foto. Se gostares mesmo do objecto pensa em expô-lo num sítio bonito e visível da tua casa.

Mente
Pega num papel e escreve todos os teus compromissos diários/mensais. Elimina os menos importantes e aqueles que só te dão chatices. 
Começa a meditar nem que seja apenas 2 minutos por dia - a meditação é uma espécie de declutter mental. Aos poucos vais ver que as cismas e o a tendência de estar sempre a pensar no passado/futuro desaparecem.
Planeia tempo para não fazer nada, nem que seja apenas 5 minutos por dia. Fica apenas contigo por alguns momentos, se te custar muito não insistas, volta a tentar no dia seguinte.
Cerca de uma hora antes de te deitares começa a dizer ao teu corpo que é hora de dormir, desliga a net, e tenta fazer algo relaxante.
Foca-te nas coisas boas sobretudo em dias que correm menos bem.

Em jeito de resumo, foca-te nas tuas coisas favoritas e reduz aquilo que não interessa e que não te faz feliz.

Uma vida mais simples, mais organizada, mais de acordo com aquilo que gostamos e com aquilo que somos, traz uma tranquilidade e paz de espírito enormes.

Vamos minimalizar?

Este post foi publicado no blog da Rita "The busy woman and the stripy cat"

Como produzir menos lixo: 30 dicas


Numa altura em que os cuidados com o ambiente têm que ser redobrados, já que não adianta só fazer reciclagem das embalagens e do papel gasto, há que produzir menos lixo.

É incrível a quantidade de papel e plástico que se gasta hoje em dia para tudo. Tudo vem embrulhado, às vezes até em mais do que uma embalagem.

Workshop Destralhar & Organizar a Casa

05 maio 2016


No sábado, dia 30 de abril, participei no Workshop Destralhar & Organizar a Casa, com a Ligia Noia e a Rita Pinheiro (personal organizer).

Usando o método konmari

03 maio 2016

Versão português de Portugal
Versão português do Brasil

Adorei ler o livro da Marie Kondo (eu li a versão brasileira, então coloco aqui as duas capas). Identifiquei-me muito com ela pois desde miúda que sempre adorei organizar e limpar, tal como a Marie!

Preparar a semana

01 maio 2016

Gosto de começar uma nova semana em reset mode, ou seja, com casa limpa, a roupa arrumada e tudo preparado para a semana.

Assim ao domingo ao final do dia, começo por:


- Ver o calendário google (tenho o do trabalho sincronizado e por isso vejo tudo junto) - verifico se há algum dia em que não estarei cá ou que tenha que fazer algo diferente do habitual

- Ver tarefas da semana (pessoais)