Meditação do coração

07 dezembro 2015

Há vários tipos de meditação do coração, sendo que o princípio é mais ou menos o mesmo: centrarmo-nos no nosso coração e a partir daí transmitirmos uma sensação de amor, paz, enfim coisas boas e positivas.

Pode ser centrada no anahata chakra (chakra do coração), visualizando a cor verde que representa este chakra e concentrando a nossa atenção em todos os sentimentos relacionados com o mesmo, como amor próprio, amor e ligação com os outros, compaixão, generosidade, bondade...

A meditação metta (meditação da boa vontade, carinho, afecto...) tem origem na tradição budista e o seu principal objectivo é desenvolver a compaixão. É um tipo de meditação com foco no amor incondicional, num amor com sabedoria. Não há pré-requisitos, ou seja, não tenho que dirigir a minha atenção apenas às pessoas que a merecem, não tenho necessariamente que incluir só amigos ou só humanos, pode ser dirigida a todos os seres e acima de tudo não tenho que esperar nada em troca.

Num dos relaxamentos da aula de yoga enviei amor a todas as pessoas que já me fizeram mal de alguma forma... Não foi algo indicado na aula pela Professoram simplesmente senti necessidade de o fazer... Ultimamente tenho dado por mim a praticar muitas vezes este tipo de meditação.
Quando comecei senti uma onda de amor a percorrer todo o meu corpo e a espalhar-se pela sala e pela natureza lá fora. Foi bom sentir que esvaziei o meu coração de coisas más que ainda tinha cá dentro e foi bom saber que não guardo rancor, que as coisas acontecem porque faz parte e não é por causa disso que devemos guardar esse ódio para nós mesmos.
Acho que se todos fizéssemos o mesmo o mundo seria mais leve e mais feliz. 

Muitas vezes temos vontade de dizer coisas boas, de agradecer e não o fazemos. Já as coisas más parece que saem a voar da nossa boca. Às vezes até nem as queremos dizer e quando damos conta já está. Isto estará certamente relacionado com a nossa sociedade e os valores que a mesma veicula, por isso só nos cabe a nós mudar esta forma de ser e estar. Vamos fazer um esforço por criar uma corrente positiva, com este tipo de amor incondicional e dirigido a todos os seres?

Quando tiveres uns minutos sem distracções, experimenta esta meditação:

Coloca a tua mão direita sobre o coração e sente o batimento do teu coração. Respira profundamente e sente o ar a entrar e a sair por essa zona do teu corpo. Visualiza uma cor verde nesta zona (a cor do chakra do coração, em sânscrito anahata chakra) e sente que ao inspirar estás a receber as coisas menos boas da tua vida e do mundo à tua volta. 
Na expiração envia coisas boas para todas as partes do teu corpo e para tudo o que te rodeia, envia sensações positivas, coisas boas, paz e amor. Repete várias vezes este exercício, tentando respirar cada vez mais profundamente. À medida que vais inspirando e expirando sente que a tua energia é cada vez maior e que as coisas boas chegam mais longe. Coloca na tua respiração essa intenção, de enviares amor e coisas positivas para o mundo lá fora. 

Com esta meditação vamos transformando as coisas menos boas (que muitas vezes guardamos para nós e que tentamos bloquear “não vou pensar nisto, não quero pensar”) em algo positivo, acabando por desbloquear estes nós que sentimos cá dentro, que muitas vezes nos causam mal-estar e desconforto.

Há ainda outras técnicas de meditação mais ativas, como esta que é efectuada em forma de dança. Já tive oportunidade de a fazer em grupo e adorei, é uma dança super poderosa.

Apesar de praticar diariamente a meditação tradicional, em que estou sentada focando a atenção apenas na respiração, gosto de experimentar técnicas diferentes.

Estas técnicas são especialmente úteis para quem tem mais dificuldade em meditar ou simplesmente para aqueles dias em que temos mais dificuldade em acalmar a nossa mente.


Deixo aqui algumas meditações guiadas:

https://www.youtube.com/watch?v=xXL2ObrT918

http://www.yogajournal.com/meditation/deepak-chopra-guided-meditation-love-forgiveness/

1 comentário:

  1. Olá Ana!
    Muito obrigada por toda esta partilha que aqui fazes.
    Logo já vou investigar com atenção os links.
    Não dispenso uma meditação por dia, por muito pequena que seja.
    Beijinho e bom feriado.

    ResponderEliminar