Leituras da semana

28 fevereiro 2014



Esta simples sobremesa com aspecto delicioso e criada por uma blogger minimalista :)



Este simples almoço e a simplicidade da cozinha vegetariana.



Esta entrevista com o Leo Babauta.



Este quarto, mais tranquilo impossível:







Bom fim-de-semana!

A vida por aqui

24 fevereiro 2014


As manhãs têm começado assim (com a saudação ao sol ou Surya Namaskara):


Fico logo cheia de energia e pronta para enfrentar o dia!

Cada vez gosto mais do yoga! Tenho tentado praticar duas vezes por dia (de manhã e ao final do dia). Assim vou complementado com as aulas (que faço três vezes por semana).

Sinto-me mais forte física e mentalmente e a respiração melhorou imenso (todos estes efeitos se sentem na corrida, o que é óptimo!). Acho que estou a evoluir a um bom ritmo e já me consegui pôr assim :)


E correr junto à praia? Não há melhor sensação! O mar transmite uma energia incrível! Adoro sentir o mar, a natureza e o sol. Gosto de me sentir forte e adoro a sensação no final, de dever cumprido. Numa semana menos boa o exercício físico tem ainda mais importância! Sentimo-nos capazes de tudo e isso não tem preço :)




Os smoothies/sumos/batidos vieram para ficar! Já não vivo sem eles! Hoje usei beterraba e estava delicioso!



Experimentei papas de aveia e adorei! Segui esta receita. Já comi de manhã e ao lanche e sabe bem em qualquer altura (pensava mesmo que não ia gostar mas enganei-me!).


Boa semana!

Leituras da semana

21 fevereiro 2014


“Temos que lutar pela integração. Integração das forças contraditórias em nós e integração dos outros. Temos que excluir a exclusão.
Temos que ter uma permanente consciência das forças dentro de nós e uma profunda gratidão pelas coisas boas. O caminho passa por aprender a viver entusiasmados com a ambiguidade da vida, das situações e das pessoas.
E apenas aceitando esta ambivalência é que podemos começar o combate épico da nossa vida: O combate em que o nosso herói luta com o nosso vilão.” (daqui).




Destralhar compromissos: “Don’t allow things of lesser importance to rob you of the life you could be living. Take a good look at your life and be honest. Do the work and declutter your schedule. You can do this!”







O que nunca devemos fazer"We work hard to discard the parts of our lives that were painful, difficult, or sad. But just as we can’t rip chapters out of a book and expect the story to still make sense, we cannot rip past chapters out of our lives and expect our lives to still make sense. Keep every chapter of your life intact, and keep on turning the pages one at a time. Sooner or later you’ll get to a page that brings it all together, and you’ll suddenly understand why every page and chapter before it was needed."

Uma vida mais livre (parte II)

18 fevereiro 2014


Quando comecei a escrever sobre como simplificar a vida mental e espiritual, as ideias começaram a voar... Comecei a lembrar-me de tanta coisa que me foi acontecendo e que me permitiu passar a ter mais qualidade de vida, por isso achei melhor dividir o post em dois.

Para além do que falei no post anterior ainda há mais formas de ter uma vida mais livre, mais simples e mais feliz. Como?

- Escrevendo! Desde miúda que sempre tive necessidade de desabafar com o diário e todos os anos arranjava um diário novo, onde ia partilhando o que ia acontecendo no meu dia-a-dia.

Depois deixei de o fazer (já nem sei bem porquê…) e com o minimalismo esse prazer voltou. Agora escrevo praticamente todos os dias!

Tal como falei aqui, a escrita ajuda-me a pôr os pensamentos em ordem, a gerir melhor as emoções e também a tomar decisões. É também uma forma de desabafar e de me sentir mais leve, deixando as coisas menos positivas no papel. Gosto também de escrever tudo o que me acontece de bom e relê-lo mais tarde. Há tantas coisas que nos vamos esquecendo! E este exercício de relembrar as coisas boas faz-nos um bem incrível :)


- Há também outra coisa muito importante que nos permite ter uma mente relaxada e feliz: o sono (em tempos o meu grande inimigo, ou assim pensava eu!). Mas como não o consegui vencer, juntei-me a ele! Eu sempre achei a actividade de dormir um desperdício de tempo! Queria era aproveitar a vida ao máximo e fazer tudo o que conseguisse em 24 horas. Ora se tinha que passar 7 ou 8 horas a dormir, é óbvio que iria ter muito menos tempo para fazer tudo o que queria. Então dormia 4, 5, às vezes 6 horas. Nunca mais do que isso. Deitava-me tarde e acordava relativamente cedo. Bebia muito café e consegui viver assim durante alguns anos sem problemas. Mais tarde, o meu corpo não aguentou e comecei a sentir os efeitos… Cada vez tinha que beber mais café para me manter acordada, tinha mais dores de cabeça e sentia-me cansada no geral. Tive que me render e perceber a importância do sono! Li algumas coisas sobre o assunto e descobri que gosto mesmo de ser madrugadora! Mas para o ser, faltava uma parte muito importante: deitar-me cedo! Comecei a deitar-me mais cedo, a deitar e a acordar sempre à mesma hora (mesmo aos fins-de-semana) e a tirar realmente partido do sono. Passei a dormir melhor e a gostar de dormir (sem que isso me impeça de acordar cedo). Sinto-me com muito mais energia e cada vez gosto mais de acordar cedo (para escrever, fazer yoga, meditar). Muitas vezes ouço comentários menos positivos... que tenho horários de velha, que devia era sair à noite, etc. Mas eu não ligo nenhuma, porque me sinto bem e feliz assim! Assim como também acredito que outras pessoas se sintam melhor a deitar e a acordar tarde, o que respeito perfeitamente. O segredo é mesmo descobrir aquilo que melhor se adapta ao nosso corpo e estilo de vida.

Percebi que dormir e descansar bem o corpo e a mente é uma forma muito produtiva de se gastar o tempo (ao contrário do que eu pensava). Iremos sentir-nos melhor e viver com mais alegria e energia se dormirmos melhor, por isso deixei de ter sentimentos de culpa em relação ao tempo gasto a dormir, a meditar, a relaxar ou simplesmente a não fazer nada.


- E por isso, deixei também de andar com relógio! Estava constantemente preocupada com o tempo e a olhar para o relógio e descobri que sou muito mais feliz sem ele! Quando quero ver as horas tenho sempre o telemóvel ou o computador e em casa tenho o microondas ou o forno, por isso para quê mais um relógio? Dei vários relógios e fiquei com apenas um que está guardado (mas confesso que nunca mais peguei nele).


- Com o corre-corre do dia-a-dia acabamos por passar pouco tempo em casa e às vezes a nossa casa é quase um dormitório. Chegamos tarde e só temos tempo de comer qualquer coisa e ir dormir, para no dia a seguir acordar e voltar a repetir tudo outra vez. É por isso que adoro chegar cedo ao trabalho e também sair cedo. Adoro viver junto à praia e é tão bom poder aproveitar realmente o sítio onde vivemos. Apreciar a natureza, o mar, a praia, a zona envolvente...Claro que nem toda a gente pode já ir a correr e mudar-se de malas e bagagens para junto da praia. Mas se tens uma zona verde perto de casa, um parque, um jardim, aproveita! Dá passeios/caminhadas ou corre no início ou no final do dia. Vê o nascer ou o pôr do sol, em silêncio ou com companhia. Simplesmente aproveita mais a natureza. Desfruta do momento presente e aprecia o ambiente que te rodeia. Vivemos tantas vezes a correr que nem paramos para apreciar as coisas mais simples e mais bonitas.

Claro que às vezes me esqueço de fazer isto... Apesar de já ter feito muitas mudanças na minha vida, volto a fazer o que não devo. Mas não é por causa disso que devo ficar desanimada e deixar de o fazer. Tal como o destralhar, esta é uma tarefa constante, que vamos praticando e melhorando um bocadinho todos os dias. E às vezes estamos mais cansados, temos mais compromissos e é normal que outras coisas fiquem para trás. Não faz mal. O que conta é a regra e a regra deve ser descansar corpo e mente e viver mais a nossa vida.


- Vou terminar este post a falar de música. Eu adoro música, desde sempre! A música sempre teve uma presença muito forte na minha vida e sinto-me muito mais feliz se ouvir música todos os dias. Também adoro ir a concertos e sempre que posso lá vou eu!

Quando me sinto mais desanimada, a música consegue ter um efeito incrível e pôr-me logo bem disposta! Se és como eu, cria uma playlist só com músicas que te façam ficar super animada(o) e que te façam dançar sem parar! Eu tenho andado a explorar o spotify à séria e a criar várias playlists, para meditar, para cozinhar, para me dar ânimo, para recordar os tempos de adolescência, etc. Tem sabido mesmo bem!

Se a música não chegar para te dar ânimo, pensa no que gostas mais de fazer e naquilo que te faz sentir imediatamente bem e feliz. Cria uma lista com tudo isso e deixa essa lista sempre à mão! A ideia é: quando te sentires mais em baixo/menos motivada(o) já tens o plano que deves seguir!

Vamos lá pôr algumas destas coisas em prática e viver mais a nossa vida?

Uma vida mais livre (parte I)

14 fevereiro 2014


… de preocupações, de cismas, de medos, de ansiedade...


Eu sempre fui de cismas. Acho que é de família. A minha querida avó é assim, a minha mãe também (embora disfarce muito bem e tenha estratégias para controlar a coisa) e a minha irmã também. Claro que eu tinha que sair à família! Mas isto não é desculpa. Apesar da minha tendência natural, há várias forma de controlar a coisa, melhorá-la e até mesmo eliminá-la (nem que seja só um bocadinho).

Quando comecei a minimizar e a simplificar nunca pensei que isto poderia ter tantos efeitos positivos na parte espiritual e mental. Tinha lido qualquer coisa sobre o assunto, mas sentia-me sempre um pouco descrente. Afinal eu queria livrar-me de tralha, porque para mim fazia todo o sentido ter uma casa e uma vida com o mínimo, com o essencial e portanto mergulhei de cabeça, sem pensar propriamente nas consequências e nos seus efeitos positivos.

A verdade é que os efeitos na parte mental e espiritual foram mais do que muitos!

Para além das cismas e preocupações, sempre pensei em muita coisa ao mesmo tempo, sempre tive a cabeça a mil e sempre fui conhecida por estar a dormir ou a pensar no além!

Uma vida mais simples, mais organizada, mais de acordo com aquilo que gostamos e com aquilo que somos, traz uma tranquilidade e paz de espírito enormes! Só o facto de chegar a casa e ter tudo arrumado transmite-nos uma calma enorme! Mesmo que cheguemos a casa um pouco stressados depois de um dia de trabalho, ainda nos sentimos mais felizes por estarmos em casa. E não pensem que a minha casa está a brilhar e que ninguém pode mexer nem tocar em nada. Nada disso! Simplesmente está limpa e organizada para mim, ou seja, consegui descobrir o nível ideal de limpeza e de arrumação, sem ter que ter muito trabalho e sem que estar preocupada com a mania das limpezas (outra maleita da qual sofria desde miúda). E como descobri? Depois de começar a eliminar tralha, também eliminei tarefas, ideias pré-concebidas do que deve ser uma casa e de como deve estar limpa/arrumada. Vivem pessoas numa casa, não vivem robots! E vive lá mesmo alguém por isso é normal que haja sinais disso, não? Eu diria que sim e aprendi a gostar e a viver numa casa assim, uma casa com pessoas, com vida, com uma família lá dentro (muito feliz!).

Já falei várias vezes sobre como ter uma rotina de limpeza simples e tendo sempre o cuidado de respeitar o nosso ambiente. Tento ir fazendo as coisas durante a semana para que o fim-de-semana fique o mais livre possível, mas às vezes não consigo ou não me apetece. Nessas alturas sei que terei que gastar tempo do meu fim-de-semana a fazê-lo, mas também ajusto as coisas. Se tiver coisas para fazer ou se simplesmente precisar de descansar mais, limpo o mínimo possível, passo o espanador sobre os móveis, aspiro e nos wcs faço uma desinfecção muito rápida e mudo as toalhas. Numa hora ou às vezes menos trato de tudo. Não fica perfeito (nem lá perto) mas fica o melhor para nós, para as nossas necessidades, para a nossa vida. Antes, não era assim, era muito mais inflexível e tinha que atingir determinado nível, não adaptava as coisas, queria fazer tudo como se fosse uma super mulher, como se a vida seguisse sempre um plano perfeito e infalível... 

O exemplo da casa e da mania das limpezas e da perfeição é um exemplo que serve para muita coisa... A mania que tenho em ser perfeccionista em muitos outros casos, faz com que seja muito ansiosa (embora disfarce muito bem). 

Então o minimalismo também me permitiu começar a enfrentar o problema da ansiedade e do sofrimento por antecipação. Como sou de fazer filmes e de antecipar todas as situações (sempre achei que devemos prever tudo e mais alguma coisa para não contarmos com surpresas… como se fosse possível prever tudo!). Deixei-me disso, acho que não devemos criar grandes expectativas nem fazer filmes. Prever algumas sim, planear e preparar também, mas tudo na medida do indispensável, só e apenas. E com a idade tenho aprendido a fazer essa distinção e a filtrar o que não interessa.

O yoga tem ajudado muito, a meditação também. Mas também ajuda fazer um esforço todos os dias para estar aqui, neste momento, e para ser o mais prática possível. Há algo que me preocupa neste momento? Se sim, o quê? O que posso fazer? Tenho uma data para entregar um trabalho. Depende só de mim? Vou concentrar-me só naquilo que depende de mim, vou fazer uma lista com tudo o que preciso de fazer e vou começar a fazer, já! Não tem que ficar logo perfeito, depois de estar mais ou menos estruturado, começa a melhorar-se. Muitas vezes a vontade de querer fazer logo tudo bem, paraliza-me. Não pode ser!

Todos os dias são novos dias, todos os dias temos uma nova oportunidade para fazer algo diferente, para mudarmos algo que não está bem, por isso vamos aproveitar! É sempre esse pensamento que tento ter, sempre que quero começar um novo hábito.

Mas claro que não vamos começar várias coisas novas de uma só vez e é aqui que entra a gestão de prioridades. O que é mesmo mesmo importante neste momento? O que iria fazer uma grande diferença na minha vida? E esse hábito levará a outros. 

Uma das coisas que ainda não faço diariamente é pensar nas coisas boas do dia. às vezes esqueço-me confesso, mas quando o faço faz tanta diferença (vai daí instalei esta aplicação para me relembrar de o fazer todos os dias! - tem resultado, tenho-o feito sempre). É que a nossa cultura foca-se imenso que está mal e no que é preciso melhorar. Isso é importante para evoluirmos todos um bocadinho mais, mas também é tão importante pensar naquilo que nós e outros já fazemos bem! Agradecer e sorrir tem um impacto enorme em nós e nos outros!


No próximo post continuarei a falar sobre este assunto (comecei a escrever e quando dei conta estava grande demais por isso dividi-o em duas partes).

Entretanto começa já a eliminar preocupações e sorri mais! Vais sentir logo a diferença :)

Bom fim-de-semana!

Go slowly: termina o teu banho com água fria

12 fevereiro 2014



As “go slowly” são pequenas dicas que podemos implementar no nosso dia-a-dia que nos permitem viver de forma mais lenta, relaxada e feliz. Fazem-nos ver a vida de outra forma e ensinam-nos a valorizar as pequenas coisas. Vamos a mais uma dica?


Sim, leste bem: água fria! 

E porquê?


- Melhora a circulação

- A pele fica mais fresca e mais saudável (pois a água demasiado quente resseca muito a pele)

- Dá-te mais energia

- O teu sistema imunológico fica mais forte 

- Transmite alergia e boa disposição (pois ajuda na produção de noradrenalina)


Eu sei que é difícil, custa muito, sobretudo no inverno, mas faz tão bem! E geralmente o que faz bem custa um bocadinho, pelo menos no início até se formar o hábito.

Começa pelos pés e vai diminuindo a temperatura. Quando te sentires relativamente confortável passa para o resto do corpo! Não precisa de ser muito tempo, basta uns segundos. Depois vais aumentando o tempo à medida que fores criando o hábito. Canta, grita (isso ajuda!). Vais ver que vais sentir uma energia enorme!

E depois é sempre bom irmos fazendo coisas que nos deixam menos confortáveis, nem que seja um simples banho de água fria!


Vá, coragem!


Leituras da semana

Sobre o dia de ontem...

05 fevereiro 2014






Desafio superado! Mente e corpo mais fortes!

E é tão bom regressar a casa no final. Fazer a viagem de regresso super animada e feliz por saber quem estará à minha espera na estação. Idealizar o que farei para o jantar, pensar nos planos para depois do jantar, tomar um banho relaxante, aproveitar o sofá e a casa quentinha.

É tão bom cortar a meta e ter tudo isto do outro lado! Tudo o que me acompanha sempre mas que nestas alturas tem sempre outro sabor.

Agora venha o tempo merecido de descanso e mais tempo livre para me dedicar ao meu querido blog :)

Planos para Fevereiro

02 fevereiro 2014


O novo mês começa mais verde!
Já há muito que queria comprar umas plantas mas adiei a compra durante uns tempos... Finalmente encontrei as plantas certas! Adoro os meus dois novos cantinhos cá em casa:




As aulas de yoga que comecei no início deste ano têm-me feito lindamente. Adoro as aulas, adoro ter uma actividade com hora marcada ao final do dia e adoro os efeitos que tenho sentido. A ideia é praticar, praticar e praticar!

imagem daqui


Um novo fundo para o computador pessoal (daqui):


Quero voltar às corridas em força! (A chuva e o frio não ajudam nada, mas chega de desculpas!)



Vou continuar a simplificar e espero que desse lado continuem a acompanhar-me! Não me tenho dedicado ao blog tanto quanto gostaria, mas prometo que os posts vão continuar :)

imagem daqui


"Viver um dia de cada vez": mesmo!
Há dias em que tudo muda, outros em que nada acontece, outros em que sofremos por antecipação e em que acabamos por descobrir que foi tudo em vão. As coisas mudam, a vida, nós próprios. E tudo pode mesmo mudar de um dia para o outro. Portanto não vale a pena criar expectativas, fazer grandes filmes e tentar antecipar o futuro... Vivemos mais felizes no presente e um dia de cada vez. Cada vez esta frase faz mais sentido :)

imagem daqui

E por aí, quais são os vossos planos?
Boa semana!