Simplificar e ter uma vida saudável - parte I

18 março 2014


O minimalismo e um estilo de vida saudável andam de mãos dadas. O minimalismo foca-se na importância do essencial e um estilo de vida saudável deveria ser o mais importante para todos nós. Só assim viveremos plenamente e poderemos realmente tirar o verdadeiro proveito da nossa vida.

Já fui tudo menos saudável, já tive peso a mais, já fumei, já comi muitos fritos, já vivi demasiados anos sem fazer exercício físico, já bebi álcool a mais, já fui completamente viciada em café, já passei anos e anos a dormir muito pouco todas as noites, já passei algumas fases em que pouco ou nada comia, já tive outras fases em que tomava comprimidos para tudo e mais alguma coisa, já roí as unhas e os dedos (até ficar sem pele). Enfim, já fiz muito mal a mim própria, física e psicologicamente e por isso facilmente me identifico com pessoas que querem mudar o seu estilo de vida mas que não conseguem.

Antes demais deixa-me dizer-te: É TOTALMENTE POSSÍVEL! Se eu consegui, qualquer um consegue. Afinal eu não sou especial de corrida, sou uma pessoa de carne e osso, tal como as outras, com muitos defeitos e vá lá algumas qualidades também :)

O primeiro passo e o mais importante é mentalizares-te que queres mudar “É a partir de hoje que vou começar a minha vida”. Repara que eu escrevi “começar a mudar” e não “mudar”, pois ninguém muda a vida num dia, nem o super-homem. É muito bom quando nos sentimos inspirados e temos aquela sensação de que hoje podemos fazer tudo. Mas melhor do que isso é fazer perdurar essa vontade e motivação. E esta é a parte mais difícil, mas que não deixa de ser possível. Invariavelmente uns hábitos acabam por levar a outros e é isso que tens que tentar perceber, qual o hábito mais importante para ti, que é mais fácil e que achas que te poderá levar a outros hábitos, também eles saudáveis.

Eu comecei pela alimentação. Só algum tempo depois passei ao exercício físico. Depois ao deixar de fumar, de beber, etc. Acabei por me focar naquilo que fazia sentido consoante a fase da vida em que me encontrava. Por exemplo, enquanto estava a estudar era muito mais difícil ter bons hábitos. Havia muitas saídas, jantares com amigos, etc. Quando comecei a trabalhar tive que mudar algumas coisas, nomeadamente os meus hábitos de sono, pois sentia-me cansada a dormir tão pouco.

Apesar de ser vegetariana há muitos anos, só me tornei vegan muito tempo depois. E foi nessa altura que a vontade de usar apenas produtos de limpeza ecológicos despertou. Portanto, tudo o que faço hoje em dia foi resultado de um processo de mudança que durou muito tempo e que aliás ainda está em curso, pois o ser humano está em constante mudança e os grandes responsáveis por essas mudanças, somos nós!

Não tens que fazer tudo hoje, mas podes começar hoje! Esta é mesmo a mensagem mais importante!

Vou dar-te algumas dicas sobre alimentação, exercício físico, limpeza da casa e os cuidados que devemos ter com o ambiente.

Vamos a isto?


Alimentação

Os ingredientes mais simples são sempre os melhores.

Começa o dia da maneira mais simples possível: com meio copo de água quente e umas gotas de limão. Vais hidratar o corpo e também limpá-lo. Assim fica prontinho para receber um pequeno-almoço nutritivo. Não preciso de referir a importância do pequeno-almoço, pois não? Faz mesmo um esforço por não saíres de casa sem tomar o pequeno-almoço (nem que tenhas que acordar 5 ou 10 minutos mais cedo).

Para o pequeno-almoço deixo aqui várias sugestões, além do café com leite vegetal + pão de cereais/soja que é o que habitualmente como durante a semana (este é mesmo o clássico, nunca me canso, antes como fruta ou bebo um sumo/smoothie. Para já ainda não consigo passar sem a minha dose de café matinal).

Para quem gosta de coisas diferentes ou simplesmente para os fins-de-semana deixo aqui mais algumas sugestões:

  • Várias receitas: aqui (sociedade vegan) e aqui (Miss Vite).
  • Papas de aveia: aqui (as que costumo fazer habitualmente) e aqui.

A meio da manhã e a meio da tarde gosto de comer:

  • Frutos secos/desidratados.
  • Fruta.
  • Iogurtes.
  • Sumos/smoothies/batidos.
  • Bolachas/barras de cereais (de preferência feitas em casa) senão podes sempre procurar alternativas biológicas e com pouco açúcar.

Às refeições principais não precisas de complicar muito. Há refeições simples e rápidas que contêm todos os nutrientes que precisamos. Se não tens uma alimentação vegetariana/vegana tenta pelo menos fazer uma refeição deste tipo por semana.

Já mostrei aqui uma semana de refeições para ficarem com uma ideia do que come um vegan (pois muitas vezes pensam que os vegans comem sempre as mesmas coisas). Por acaso acho que é mesmo ao contrário, antes de ser vegetariana variava muito menos na alimentação. Foi todo um mundo novo de produtos alimentares que descobri (normalmente as pessoas com uma alimentação tradicional não costumam comer quinoa, bulgur, algas, miso, levedura de cerveja, aveia…e estes são só alguns exemplos).

Comida colorida, saborosa e saudável é o que não pode mesmo faltar...




1. Soja fina salteada no wok com legumes.
2. Curgete e pimentos grelhados com sementes e ervas.
3. Muffins de tofu fumado e cenoura.
4. Seitan às tiras salteado com sementes.
5. Risoto de espargos e cogumelos.


Deixo aqui alguns dos meus blogs favoritos para consultar receitas (eu adoro ler receitas e obviamente que não faço tudo o que leio, gosto de ler para tirar ideias e é por ler tanto que geralmente vou tendo sempre ideias para cozinhar. Estas leituras fizeram toda a diferença quando me decidi tornar vegetariana pois não fazia ideia do que podia cozinhar!):








O mais importante aqui é deixares de comer aquilo que só te faz mal (claro que se for uma vez de vez em quando não faz mal mas eu acredito que é possível continuarmos a comer de tudo, só temos que tornar esses pratos menos saudáveis em coisas saudáveis, por exemplo batatas fritas mas no forno, ficam quase iguais!). Não precisas de deitar a comida menos boa fora. Vai gastando o que tens e não compres mais. Da próxima vez que fores ao supermercado opta por versões mais saudáveis. Começa aos pouquinhos a ler os ingredientes daquilo que compras. Verifica se são coisas naturais, se têm ou não demasiado açúcar e/ou sal. E não é preciso comprar coisas demasiado caras para se ter uma vida saudável. Acredita que é possível arranjar algumas coisas relativamente baratas. Depois de conheceres bem todos estes produtos será muito mais fácil escolher. É verdade que algumas coisas são caras mas também é verdade que, a longo prazo, isso compensa, pois iremos poupar em despesas médicas e outros tratamentos, por exemplo. Além disso uma boa alimentação dá-nos logo energia e boa disposição para encararmos o nosso dia-a-dia de outra forma (mesmo naqueles dias menos bons). 

Devemos sempre optar por alimentos ricos em fibras e pobres em gorduras e açúcares.

Tenta não comprar comida pré-cozinhada ou então compra apenas alternativas saudáveis (agora já há várias alternativas biológicas).

E, acima de tudo, experimenta coisas diferentes. Descobre novos sabores. Em vez de arroz, experimenta usar quinoa, bulgur ou trigo sarraceno. Quando usares farinha tenta substituir a farinha branca por farinhas diferentes, como a de aveia, centeio, integral, espelta. 

Experimenta doces/sobremesas saudáveis (podes ver muitas aqui). Nunca como sobremesa (prefiro os doces ao lanche), mas outro dia estava cheia de vontade de comer algo doce, bastou-me aquecer um bocadinho uma banana no microondas, polvilhei com canela e já está, um doce simples e saudável).

Experimenta coisas sem glúten (eu ando a explorar estes produtos).

Adiciona algumas algas aos teus pratos. Eu costumo cozinhá-las com legumes salteados.

E as sementes? São tão boas e tão fáceis de usar. Podes polvilhar os vegetais, o arroz, as massas, até podes colocar nos iogurtes e na fruta e é tão fácil, nem tens que as cozinhar! Só as sementes de linhaça é que se devem triturar antes de consumir para serem totalmente absorvidas pelo nosso organismo.

Já sei o que estás a pensar “e se eu não gostar”?

As nossas papilas gustativas são domesticáveis, acredita! Os meus gostos já mudaram tanto! Lembro-me de quando deixei de usar açúcar no café. Custou-me tanto! Achava que ia ser impossível, que nunca iria conseguir beber o café sem açúcar. Comecei por reduzir um bocadinho numa semana, mais um bocadinho noutra, até deixar de usar completamente. Depois por me ter habituado a beber tudo sem açúcar tive dificuldade em adaptar-me aos leites vegetais, mesmo às versões sem açúcar (acho que são sempre um pouco adocicados). Tive que voltar a treinar as papilas gustativas e consegui. Com alguns vegetais aconteceu o mesmo, nem sempre gostei de tudo, mas é tudo uma questão de hábito. Quando sabemos que nos faz bem temos o incentivo que precisávamos. Um dos truques é misturar o que gostamos menos com aquilo que gostamos mais. Primeiro em doses muito pequenas e depois ir aumentando. E isto também pode ser feito com as crianças e com toda a família (confesso que faço muito isso cá em casa, não só comigo, mas também com o marido e consigo enganá-lo bem). Após algum tempo, o milagre acontece, já conseguimos gostar do tal alimento em versão solo

E onde comprar alimentos saudáveis? Os hipermercados têm cada vez mais variedade na secção de produtos dietéticos. É uma questão de ires procurando e passando por lá. Quanto às lojas especializadas eu recomendo a celeiro-dieta, que adoro e é onde faço a maior parte das compras.


Vamos aos líquidos?

Não costumo beber às refeições, simplesmente porque já bebo água, chá e sumos/smoothies durante todo o dia e às refeições não tenho essa necessidade. Beber muito à refeição não é aconselhável, pois pode retardar a digestão (uma vez que o líquido irá dissolver o suco gástrico) e pode fazer ainda com que o nosso organismo não consiga absorver certos nutrientes presentes nos alimentos que ingerimos. Quando tenho muita sede ou quando como algo picante, bebo um bocadinho no fim e fico bem.

Ao longo de todo o dia bebo bastante água. Gosto de beber logo quando acordo, bebo água no trabalho (levo sempre uma garrafa de água comigo) e quando chego a casa bebo sempre chá. Muitas vezes à noite volto a tomar chá. Ao início pode custar um bocadinho adquirirmos este hábito, mas é mesmo uma questão de começar. Um dos truques que podes usar é arranjar algo que te lembre que deves beber. Podes deixar a caneca do chá já pronta (depois é só aquecer água), podes deixar o copo de água pronto quando acordas de manhã para beberes a água com limão, podes deixar a garrafa de água já pronta para levares para o trabalho. E se no trabalho te esqueceres de beber água? Tenta beber água sempre que fazes alguma pausa. Se fores mesmo muito esquecida(o) coloca alarmes no telemóvel. Há imensas alternativas, o importante é mesmo não esquecermos de hidratar o nosso corpo!

Tiraste muitas notas? Começa por ver algumas receitas que tens curiosidade em experimentar, anota os ingredientes e da próxima vez que fores ao supermercado já sabes.


Espero que este post te tenha inspirado. No próximo continuamos a caminhada em busca de uma vida saudável e simples.

7 comentários:

  1. Mais um excelente post. Obrigada por toda a inspiração! Veio, sem dúvida alguma, a calhar! Muito, muito, obrigada :) Estou nesta fase da minha vida: mudar a alimentação e não tem sido nada fácil. Com o último ano da licenciatura, fiquei mesmo cansada, então ao final de 4 anos, tive que deixar de ser vegetariana (porque não conseguia mesmo continuar a ter tanto cuidado com as refeições e comecei a comer só fritos e coisas nada saudáveis), o que não me agrada nada... entretanto juntei-me aos green smothies e já me sinto com muita mais energia. Este blogue ajuda-me a arranjar força e inspiração para continuar com os meus objetivos e com o "meu caminho" e não há como agradecer isso. :) Fico à espera de mais! :) **

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito dese post, Ana! Acho que a mudança realmente deve ser progressiva, senão nos assustamos com o fato de não conseguir realizar determinadas tarefas e acabam nos desanimando. Gostei muito das dicas de alimentação também. De fato, pequenas mudanças aos poucos surtem um melhor resultado!

    ResponderEliminar
  3. Olá Ana, muito obrigada por incluires o Compassionate Cuisine no teu guia para ter uma vida mais saudável! :)
    Concordo plenamente contigo em tantos aspectos... Acredito que só poderemos ser verdadeiramente felizes se estivermos em harmonia com o nosso corpo, e isso implica alimentarmo-nos bem, praticar actividade física, e ter uma mente saudável. Também acho que é essencial viver de uma forma mais simples, e adoro o estilo de vida que nos mostras, aliás ponho em prática diáriamente esta filosofia.

    Um excelente artigo, sem dúvida!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Olá Ana, descobri agora este teu post e adorei! Muito obrigada pela referência à A Cozinha Verde! É tão bom sentir que de alguma forma inspiro outras pessoas a tornarem a sua vida mais saudável, mais simples, mais feliz! :) Obrigada!!

    Um beijinho grande,

    Filipa

    ResponderEliminar
  5. olá descobri recentemente o seu blog e adoro. a tenho uma respeitável (?) idade mas gosto de estar sempre a inovar e em movimento. aprendi muito com este e outros posts seus, muitas coisas já fazia, outras são um desafio que vou introduzir todos os dias com calma. obrigado pela partilha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carolina, muito obrigada. Espero que continue a passar por cá e a tirar muitas ideias.

      Eliminar