Como fazer e arejar a cama de manhã?

28 março 2013


Não gosto de sair de casa com a cama por fazer, mas também não gosto que a cama fique sem arejar...
É importante arejar a cama por causa da humidade e dos ácaros, sobretudo para quem tem alergias como eu, por isso tenho mesmo que ter esse cuidado.

Então como concilio as duas coisas? 

Primeiro, faço a cama normalmente.

Depois, faço uma espécie de rolo ou dobro duas vezes.

Quando chego a casa é só desenrolar ou desdobrar e já está! Simples e rápido :)

Fica algo mais ou menos assim:


 versão rolo

 versão rolo


versão dobrada

Caso tenha mais tempo de manhã, ponho a cama a arejar logo quando acordo e faço a cama antes de sair.

É óptimo chegar a casa ao final do dia e ter a cama feita :)

Os óculos minimalistas

19 março 2013


Depois de abraçar um estilo de vida minimalista, confesso que passei a ver tudo de uma outra forma... Foi como se tivesse colocado uns óculos e nunca mais os conseguisse tirar. Esses óculos, como seria de esperar, alteram a forma como vejo tudo aquilo que me rodeia...

Como já referi várias vezes, deixei muitas preocupações de lado, mas também deixei de lado muitas comparações... Estamos constantemente a comparar tudo e mais alguma coisa! E na maior parte das vezes, as nossas vidas são tão diferentes que deveria ser impensável compará-las, certo?

Apesar de fazermos parte da mesma sociedade, cada um tem uma experiência de vida única, hábitos diferentes, formas de pensar diferentes.

Além disso, muitas vezes, apenas temos acesso a uma pequena parte da vida dos outros, acabando por conhecer apenas o mais superficial.

Então porquê que passamos quase a vida toda a fazê-lo? Sinceramente acho que só nos faz mal e nos torna mais infelizes...

Claro que percebo que às vezes custa muito termos que ouvir/lidar com determinadas coisas... como pessoas que se queixam que têm um salário miserável ou que até passam por dificuldades, e depois aparecem com um carro novo ou vão passar férias a sítios paradisíacos... O melhor mesmo é ignorar! Até porque muitas vezes, não sabemos quase nada da vida dessas pessoas, ou pelo menos não sabemos tudo... Além disso, essas pessoas podem estar efectivamente a passar por sérias dificuldades precisamente porque não sabem gerir o seu dinheiro. Nesses casos, devemos até ficar felizes porque nós sabemos gerir o nosso! Quem sabe se até não podemos dar alguns conselhos?

A questão é que não adianta ficarmos a pensar que esta ou aquela pessoa tem mais do que nós! Mas tem mais de quê? Tem mais dinheiro, mais sucesso, uma casa maior, um carro melhor ou é simplesmente mais feliz? Volto a dizer: não sabemos! Eu continuo a preferir poupar mais algum dinheiro do que viajar várias vezes por ano, por exemplo, ou do que gastar em bens materiais. Para mim isso é muito mais importante, assim como valorizo cada vez mais as pequenas coisas que, como sabemos, são muitas vezes gratuitas. Mas outras pessoas, poderão pensar de forma completamente diferente! Além disso há pessoas que gostam mais de se queixar do que outras. Provavelmente quem efectivamente precisa nem pede ajuda!

Nunca liguei muito ao que os outros têm e que eu não tenho, seja bens materiais, seja mais “sorte”, um salário mais elevado ou mais regalias. Acho mesmo que é energia gasta desnecessariamente. O importante é sentirmo-nos bem connosco e estarmos de consciência tranquila. Não interessa se os outros têm mais sorte, se têm pais riscos, se têm flexibilidade de horário, se têm uma casa linda, um carro xpto. Não interessa nada. O que interessa somos nós e os nossos! O que interessa é sermos felizes. E mesmo se tivéssemos tudo o que os outros têm, iríamos querer sempre mais, certo?

Com o minimalismo cada vez ligo menos a isso, mesmo! Cada vez tenho menos necessidade de comentar esse tipo de coisas. Cada um vive à sua maneira e ninguém é melhor/pior do que o outro. O importante é que cada um seja feliz à sua maneira!

Prefiro gastar essa energia a encontrar formas de viver melhor a minha vida ou a valorizar aquilo que já tenho (que é muito!).

Além disso, tal como já referi relativamente ao “goal-free”, não quero julgar nem quero criar expectativas erradas sobre os outros. É difícil, sim, mas não é impossível e é algo que se vai treinando!

Acreditem que assim seremos todos muito mais felizes :)

Algumas leituras sobre o assunto:

http://manualdafelicidade.blogspot.pt/2012/08/sugestao-da-semana-29-pare-com.html

http://bemorewithless.com/reality/

Uma garagem vazia

11 março 2013


Os flashbacks são, como o próprio nome indica, um regresso ao passado.
Foi por volta de Novembro de 2011 que comecei a ler sobre minimalismo e que transformei literalmente a minha vida!
Na altura não tinha blog mas escrevia numa espécie de diário.
Quando criei o blog, um ano depois, recuperei alguns desses textos para te inspirar a fazer o mesmo. Espero que gostes!

As caixas/caixotes de todas as coisas que fomos comprando (electrodomésticos, computadores, etc.) foram-se amontoando na garagem.
Umas porque eram giras, outras porque poderiam vir a dar jeito...
Foram-se acumulando, acumulando e nunca mais lhes mexi!

Na altura em que comecei a simplificar, não me esqueci da garagem, mas só me livrei de alguns caixotes... Digamos que tentei fazer uma selecção...
A maioria continuava lá, até porque não sou eu só que decido, não é?

Também a garagem é a garagem, como não era dentro de casa não me incomodava minimamente. Além disso a garagem continuava a cumprir o seu objectivo que era haver espaço para o carro.

Até que um dia o condomínio afixou um aviso a dizer que iria lavar todas as garagens do prédio e que, portanto, precisaria que toda a gente esvaziasse as suas garagens.

Quando vimos o aviso combinamos um dia para pegar em todos os caixotes e os arrumarmos noutro sítio, de forma a que a garagem ficasse livre.

Assim foi, no dia combinado começámos a mexer nos caixotes e... Constatámos que os caixotes estavam uma desgraça... estavam húmidos, outros até já tinham a companhia de alguns bichinhos... Foi remédio santo! Só parámos no eco-ponto mais próximo e só saímos de lá quando ficamos com o carro sem nenhum caixote! Já estão a imaginar a minha alegria!!!

Obrigada condomínio por teres tornado a minha garagem num espaço completamente vazio!

No spending month ou como gastar menos dinheiro em comida

08 março 2013

Esta ideia do "No spending month" é bastante conhecida na blogosfera e basicamente o objectivo é gastar menos dinheiro. Claro que ao gastar menos dinheiro, acabamos também por poupar noutras coisas, como tempo e recursos.

Regras:
  • Aguentar o máximo de tempo possível sem ir às compras
  • "Esticar" a comida ao máximo e aproveitar tudo o que houver na despensa, frigorífico e congelador
  • Apenas é permitido comprar produtos frescos, como fruta e legumes
  • Inventar e experimentar novas receitas
Vantagens:
  • Acabamos com tudo o que temos em casa e assim evitámos que se estrague comida (não há desperdício)
  • Podemos aproveitar para limpar a despensa/frigorífico no final da experiência
  • Poupamos dinheiro
  • Ganhamos tempo pois vamos menos vezes ao supermercado
  • Tornámo-nos mais criativos e descobrimos receitas novas (sobretudo mais económicas)
  • Aprendemos a viver com menos (o que nos faz repensar a lista de coisas que compramos habitualmente)
Quase todos os meses tento fazer este exercício antes de ir às compras, ou seja, em vez de ir exactamente todos os meses às compras (por exemplo, no início de cada mês), tento aguentar um bocadinho mais sem comprar nada. E tento fazer tudo aquilo que referi atrás. Muitas vezes, acabo por descobrir que tenho coisas em casa que já nem me lembrava e acabo sempre por inventar novas receitas, mesmo quando achava que já não conseguia fazer mais nada! Acreditem que vale a pena. Confesso que me divirto imenso a inventar e as receitas acabam sempre por ser uma surpresa.

Também podemos aplicar este desafio a muitas outras coisas, como por exemplo, ficar um mês sem comprar roupa, um mês sem almoçar/jantar fora. Há mesmo imensos desafios deste género que todos podemos fazer. Eu gosto, divirto-me e ainda por cima poupo dinheiro e recursos.

Podem ver mais algumas ideias aqui.

Para ler e reflectir...

Projecto 333: o balanço

06 março 2013

Que bem que sabe, de manhã, abrir o armário! É uma leveza incrível!
Antes, confesso que me sentia logo exausta só de olhar para tanta roupa. É certo que já sabia mais ou menos o que iria vestir, mas no meio daquela roupa toda sentia-me perdida e cansada...
Isso agora acabou!

Aquilo que aprendi:
  1. Não preciso de muita roupa para me sentir bem. Com poucas peças (se estas forem peças-chave) é possível ter conforto e estilo. E que características deve ter a roupa?
    • deve ser versátil: para usar em várias estações e ocasiões; fácil de combinar com várias peças (o melhor é mesmo apostar em peças lisas)
    • tenho que gostar/sentir-me bem
    • não pode magoar nem fazer comichão
    • deve ser de fácil manutenção: não precisa de se passar a ferro nem tem que ser lavada à mão
    • deve ser de boa qualidade
    • o calçado também tem que ser confortável, não pode magoar
  2. É muito rápido vestir-me! Como escolhi bem as peças, todas combinam entre si e isso facilita muito o processo. Agora posso guardar esta energia para outras decisões mais importantes
  3. Ver pouca roupa no armário (sobretudo de manhã) dá-me logo mais energia
  4. Tornei-me mais criativa, pois tendo menos roupa acabo por inventar outfits que nunca tinha usado antes
  5. É mais fácil ir às compras, pois sei exactamente aquilo que preciso: ou é uma peça para substituir outra que se estragou, ou então é alguma peça que estava a faltar e que irá combinar com tudo o resto. Assim, poupo dinheiro, pois só compro o estritamente necessário/aquilo que faz realmente falta
  6. Ao usar poucas peças, passei a saber o que realmente gosto/quais são as minhas peças preferidas
  7. Livrei-me ainda de mais roupa, pois sei que cada vez preciso de menos roupa e também não consigo deixar o meu guarda-fatos neste estado durante muito mais tempo (a ideia é organizá-lo à séria de forma a que ambas as partes fiquem equilibradas)
  8. Estou a adorar este projecto e os seus resultados e por isso sinto-me muito bem por ter decidido participar
  9. Apesar de serem apenas 33 peças, acreditem que não sinto que tenho assim tão pouco para vestir. 33 é mais do que suficiente! Só falta um mês para terminar este desafio e ainda não usei toda a roupa (2 peças ainda não foram usadas). De qualquer das formas, se não se sentirem confortáveis com a ideia das 33 peças, podem escolher 40 ou 44 ou o que acharem melhor. Cada um faz as suas próprias regras.
Ao longo do projecto, acrescentei algumas peças (foram só 2 t-shirts), para usar ao fim-de-semana, pois geralmente uso roupa diferente da que uso durante a semana. Na altura em que defini as peças, confesso que me esqueci disso. Também me livrei de uma peça que ficou velha e troquei um vestido por outro, pois cheguei à conclusão que não era indicado para o frio que tem estado (talvez o use no próximo 333).

Um escritório mais leve

04 março 2013

Os flashbacks são, como o próprio nome indica, um regresso ao passado.
Foi por volta de Novembro de 2011 que comecei a ler sobre minimalismo e que transformei literalmente a minha vida!
Na altura não tinha blog mas escrevia numa espécie de diário.
Quando criei o blog, um ano depois, recuperei alguns desses textos para te inspirar a fazer o mesmo. Espero que gostes!

Também o escritório foi arrumado e organizado diversas vezes, desde que comecei esta aventura minimalista. Em todas vezes arranjava sempre mais tralha, pois apesar de ser um espaço pequeno tem imensa arrumação e por isso já sabem: imenso espaço para acumular tralha!

O escritório tem apenas uma estante até ao tecto, uma secretária (com uma gaveta) e uma cadeira (é a única divisão da casa toda branquinha e por isso adoro-a!).
Na estante tenho livros e objectos e na parte de baixo tenho várias caixas (que qualquer dia precisam de ser forradas e aproveito para as forrar de branco!).

Então quais foram as mudanças....

Papéis/Livros:
- digitalizei praticamente todas as fotos e deitei-as fora. Aquelas que estavam desfocadas/mal tiradas foram logo para o lixo, nem digitalizei
- digitalizei todos os bilhetes de concertos/festivais/eventos. Depois foram para o lixo
- aderi a facturas electrónicas de todos os serviços com essa opção e assim diminuí muito a entrada de papel cá em casa
- diminuí a quantidade de papel guardado nas capas de arquivo - facturas de luz/água/gás, etc. com mais de 6 meses foram à vida, bem como muitas outras coisas que não interessavam (talões de compra de coisas que já tinham perdido a garantia, certificados de congressos - que digitalizei, etc.)
- deitei fora instruções em vários idiomas e deixei só em PT/Inglês (não vou aprender novas línguas a ler instruções, certo?)
- coloquei para reciclar vários blocos (não preciso de ter assim tantos, escrevo mais no computador do que em papel)
- coloquei os documentos mais importantes todos numa capa (em caso de emergência já sei onde estão)
- Livrei-me de 19 livros + 2 livros receitas

Algumas das coisas que foram embora...

Computadores/pens/discos rígidos:
- organizei todas as minhas fotos no computador por pastas/datas (isto demorou mesmo muito tempo, mas foi óptimo para recordar, sobretudo porque havia fotos que não tinham qualquer data, então tive que pensar, fazer contas...). Aproveitei também para apagar todas as que estavam desfocadas/mal tiradas e as repetidas
- apaguei tudo o que não interessa do computador (documentos, pastas, programas, etc)
- apaguei também imensos albuns de música. Tinha tanta coisas que já não ouvia há seculos! Ouvi tudo o que tinha dúvidas e depois apaguei o que não interessava. Quando se tem demasiada escolha é mau!
- passei todos os cds que tenho para o iTunes, assim se alguma vez tiver oportunidade de vender/dar, já não preciso de me preocupar com isso e a qualquer altura posso ouvir sem ter que ir buscar o cd
- coloquei vários documentos na dropbox e google drive e apaguei-os do computador (não há necessidade de ter nos 2 sítios)
- organizei a minha pen e apaguei imensa coisa, muitas coisas foram para o google docs


Objectos/fios:
- vendi a minha guitarra (que só estava mesmo a ganhar pó e a estragar-se...)
- deitei fora todos os cds/dvds com backups (ficou tudo no disco rígido e na dropbox)
- deitei fora todas as caixas dos cds gravados que ouço no carro. Só ocupam espaço! Fiz também uma selecção e os que não interessam foram para o lixo
- tirei fotos às "recordações", souvenirs e medalhas comemorativas e dei-as ou deitei fora
- deitei fora várias caixas, inclusivé de coisas da apple (as caixas são muito bonitas e por isso é que as guardei, mas para quê? guardar sem utilidade não vale a pena)
- tinha coisas giras que estavam guardadas e resolvi colocá-las na estante. Se gosto de olhar para elas, porque estão guardadas?
- tinha na estante um conjunto com várias velas que me tinha sido oferecido. Achava-as muito giras, mas pensei: qual a é a função das velas? É iluminarem o espaço! Estavam ali a acumular pó simplesmente... e eu andava a comprar velas quando já tinha algumas que poderiam estar a ser usadas! Então comecei a usá-las!
- livrei-me de uma divisória onde tinha material de escritório e de muitas das coisas que lá estavam: clips, canetas, lápis, réguas, post-its. Fiquei mesmo só com o essencial (que é muito pouco pois raramente uso alguma coisa deste tipo), dei o resto a uma instituição
- sempre gostei de pedras e tinha várias em casa (guardadas), sobretudo de praias. Um dia numa das minhas corridas, levei as pedras comigo e deixei-as na praia...
- substituí o candeeiro da secretária (pois tinha um muito antigo que não gostava)
- arrumei a gaveta da secretária e deixei só aquilo que é usado frequentemente. O que usamos só de vez em quando ficou numa das caixas da estante. Os cabos/phones foram organizados em 2 pequenos cestos (que antes estavam no wc cheios de coisas que entretanto foram para o lixo)


- organizei os cabos que estão por baixo da secretária de forma a que ficassem o mais escondidos possível. Agora é muito mais fácil aspirar.

E foi assim que fiquei com um escritório muito mais leve!